quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Um Conto ... quase perfeito.

Num lugar triste vivia uma princesa que se achava uma plebéia. Presa naquele lugar feio não tinha pra onde fujir. As coisas andavam complicadas no reino.

Um certo dia chegou de cavalo (um cavalo real, desses puro sangue um legítimo cavalo dos mais lindos principes encantados) um homem um bélo homem; que lançou seus olhos verdes nos da princesa, e fez ela se apaixonar perdidamente, ele mudou a vida triste da princesa com o jeito dele, com os olhos dele, com o cheiro dele ensinou a ela que a vida podia ser colorida mas...
depois de tê-la conquistado... partiu.

Em uma de suas batalhas a princesa descobriu que ele usava um cavalo real, mas seu coração era de um plebeu, que ele não era perfeito e errava também, o que ela perdoou apesar da decepção, mas ele não entendeu; que este perdão foi prova de amor e diante do erro ele preferiu partir a enfrentar o medo que tinha, de viver sem as máscaras que o sufocavam dentro da armadura que ele construiu e lutar pra ser feliz.

A princesa nada fez pra que o plebeu ficasse, apenas deixou livre quem amava, para que ele seguisse sua própria vontade, pra ela a felicidade só acontece quando ama-se livre mesmo quando as diferenças entre o plebeu e a herdeira do trono eram gritantes.

O castelo voltou a ser triste e a princesa não respira sem ter uma lágrima prestes a cair embargando sua voz sempre que precisa ir a janela ver o reino vazio, mas ela sabe que quando se ama... é pra sempre. Mesmo que o pra sempre .... sempre acabe.

O plebeu devolveu o cavalo e nunca mais se ouviu falar das batalhas que ele lutava.

Mas essa história um dia terá um final feliz... o plebeu ainda vive, a princesa está no mesmo lugar e eles tem o mais importante: jovens corações agora sem máscaras...
O amor que eles tem certeza que existe; é de verdade e pra sempre.

Um comentário:

Cláudio disse...

Eu não sei o que tu tem, mas sei que é algo além de normal. Não encontramos mais ninguém em nenhum dos lugares que fomos, que pense como tú e que tenha um coração tão compreensivo como o teu. Fica difícil imaginar outra amiga como tu, sorte do maldito (que ninguém consegue descobrir como, e agente acha que é macumba dele rsrsrs), mas que roubou esse menina maravilhosa que tu é pra ele, junto levou uma escritora, uma amiga e uma mulher fantástica, brava, chataa por vezes, bagunceira e amável. Desejamos tudo de bom, conta com agente sempre, longe ou perto no Paraná ou aqui. Beijão do Melão, da Kaká e da Bia. Te adoramos guria.