sábado, 7 de fevereiro de 2009

Ilha das Flores... e dos porcos.


O que se faz quando um filme cheio de verdade já não te toca mais?

O que se faz quando ver uma criança comendo o que não é bom suficiente para a alimentação de um porco.. já não te impressiona mais?

O que se faz quando cenas revoltantes de 1989, continuam sendo revoltantes em 2009?

Mas... quando, ao mesmo tempo... continuam sendo as mesmas?

Talves com uma única mudança... os porcos continuam lá em mais quantidade, na mesma medida em que as crianças e mulheres pemanecem comendo suas sobras... em um número de população maior. E na mesma balança com um número toneladas superior de lixo na ilha.

Por isso pergunto porque nada mudou? Além dos números em constante crescimento?

Polegares, encéfalos desenvolvidos, dinheiro... tudo gerando... tudo fedendo... agraciando porcos em infindaveis minutos... e pessoas em cinco minutos... pessoas. Como se fossem apenas pessoas.


A única coisa que hoje me revolta ao ver um curta destes... é ao fato que estou imune a isso, e de mãos atadas por falta de querer talvez, de saber como agir em prol da idéia de mudar, principalmente em NÃO agir.

Infelizmente ver cenas que chocam já é "corriqueiro"... e não revoltantes.

A mudança está no dinheiro que compra o vidro de perfume...


"Apagaram tudo Pintaram tudo de cinza

A palavra no muro Ficou coberta de cinzas

...Só ficou no muro Tristeza e tinta fresca...

Nós que passamos apressados pelas ruas da cidade,

Merecemos ver apenas as palavras de gentilezas

Por isso te pergunto... Amor palavra que liberta... já dizia o profeta."

Marisa Monte - Josi Valentim


4 comentários:

Ana disse...

Guria, "te leio" todo dia aqui. E a cada instante, a cada leitura fico mais e mais grata pela internet possibiliar que pessoas como tu desenvolvam idéias tão bacanas e trasfiram pros demais, com tanto amor e com tanto objetivo. Tens razão... o tempo passa, o dinheiro cresce, mas oq ue é ruim permanece sendo ruim.. e nós? De mãos atadas.! Parabéns pelo texto, pela visão.

lorena disse...

de tão corriqueiro já nem afeta mais, é como se tivessemos ficado imunes, e nos contentamos a dizer que estamos de mãos atadas, sem ter que fazer. já que os poderosos não fazem, porque nós humildes mortais deveriamos?

é mais ou menos por aí, e depois q assistimos a um curta desses, sacudimos as más recordações e vamos lanchar no tio mcdonald´s

Wagner Lopes disse...

Esse documentário me chocou muito. No começo da a impressão que é algo engraçado...ai depois vem a bomba

Eric disse...

Eu assisti um filme explicando sobre esse lugar. Fiquei impressionado com as cenas.

Eu era novo, devia ter uns 13 anos.